Nosso novo site está no ar

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Região do Cariri é destacada na Câmara dos Deputados

Os principais aspectos econômicos, culturais, religiosos e históricos da região do Cariri, localizada no Ceará, foram destaque do discurso proferido, na Câmara dos Deputados, pelo deputado federal Genecias Noronha (PMDB/CE).
O parlamentar evidenciou os novos investimentos econômicos locais, principalmente na agropecuária e com a implantação de empresas e agroindústria que atuam com derivados de cana de açúcar, algodão e couro. “Culturas tradicionais que vem sendo aperfeiçoadas pela experiência e pelo conhecimento do mercado doméstico. Também vejo nessa região bastante aumento na agricultura e produção de flores”, comentou.
Os benefícios previstos para o Cariri com a conclusão da rodovia Transnordestina também foram pontuados por Genecias Noronha. De acordo com ele, a estrada vai gerar diminuição dos custos com logística dos produtos e alimentos produzidos na região.
Outra obra enfatizada pelo deputado faz a ligação com o porto de Suape e o fortalecimento da malha viária que conecta vários estados do Nordeste. “Com essas obras os nordestinos vão dar um grande passo para eliminar os gargalos de infraestrutura, que têm contribuído para perpetuar as desigualdades regionais e infrarregionais no país”.
Em seu discurso, Genecias Noronha também falou sobre a forte religiosidade da região do Cariri. Segundo ele, o local tem como símbolo maior o padre Cícero Romão Batista que com sua generosidade, piedade e liderança levou esperança de salvação para um povo trabalhador e muito sofrido.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Convenção do PMDB tauaense homologa Patrícia Aguiar como sua nova presidente

O PMDB de Tauá realizou Convenção Municipal dia 30 de novembro, na Associação Atlética Banco do Brasil e homologou o nome da ex-prefeita Drª Patrícia Aguiar para presidir o partido nos próximos dois anos, sucedendo ao ex-vereador Laucimar Loiola. Apesar de não ter qualquer caráter eleitoral de definição de candidaturas para as eleições do próximo ano, houve uma grande participação popular, numa demonstração do carisma e da liderança que a ex-prefeita detém no Município. Dra. Patrícia foi aplaudida de pé pelos presentes.

O evento foi prestigiado pelas principais lideranças estaduais do PMDB, como o Presidente Estadual, Senador Eunício Oliveira, Vice-governador Domingos Filho, Dep. Federal Domingos Neto, que é do PSB, Prefeitos, vereadores e lideranças políticas, comunitárias e religiosas de várias regiões do Estado.

Usaram a palavra durante a convenção, o Vereador Luis Alves, o Prefeito Odilon Aguiar, o ex-prefeito de Crateús, José Almir Claudino Sales, o Dep. Federal Domingos Neto, a ex-prefeita Dra. Patrícia Aguiar, Senador Eunício Oliveira e o Vice-governador Domingos Filho. A tônica dos pronunciamentos foi praticamente a mesma, de mostrar o fortalecimento do partido e a necessidade de continuar o projeto político-administrativo para o progresso do Município de Tauá.

O senador Eunício Oliveira antecipou-se ao processo eleitoral e lançou o nome da ex-prefeita Drª Patrícia como candidata do PMDB à Prefeitura de Tauá em 2012 e foi calorosamente aplaudido pelo público presente. Já o Vice-governador Domingos Filho destacou a História do PMDB no Município de Tauá, fundado na época da ditadura militar por seu pai o ex-prefeito Domingos Aguiar e um grupo de amigos, tornando-se símbolo da resistência contra a opressão militar da época e finalizou dizendo que o PMDB vencerá novamente as eleições municipais do próximo ano.

O Deputado Federal Domingos Neto, PSB, anunciou durante a Convenção, que foi recebido em audiência pelo Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra e conseguiu liberar recursos para a construção de 22 passagens molhadas em Tauá. O jovem parlamentar também disse que o Município de Tauá será o primeiro do Nordeste a universalizar o Programa de Cisternas de Placas, com a construção de 2.200 unidades. “Essas são diferentes das já existentes, no mesmo padrão das que foram construídas nos desertos da Austrália e México”, comemorou.

A ex-prefeita Dra. Patrícia, disse em seu discurso, que a Convenção não era para definir candidatura e sim regularizar e fortalecer o partido para as eleições de 2012. Ela agradeceu as novas adesões recebidas pelo PMDB e partidos aliados e assegurou que o grupo vencerá o pleito municipal porque tem o apoio da grande maioria dos tauaenses. Dra. Patrícia disse que estará sempre pronta para servir ao povo de Tauá.

O Prefeito de Tauá, Odilon Aguiar destacou os investimentos feitos no Município de Tauá ao longo dos dois mandatos da ex-prefeita Dra. Patrícia e a continuidade do trabalho durante sua gestão. Ele defendeu a continuidade do projeto que vem fazendo bem aos tauaenses.











Genecias Noronha enfatiza em Brasília características da região dos Inhamuns no Ceará


Os aspectos socioeconômicos e ambientais da região dos Inhamuns, localizada no Ceará, foram temas de discurso do deputado federal Genecias Noronha (PMDB/CE), na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Entre outros assuntos, o parlamentar destacou o crescimento da produção econômica apesar de enfrentar inúmeras dificuldades, principalmente em virtude das características do semiárido e problemas como a seca.

“Falar do impacto negativo da seca sobre o contexto social, econômico e ambiental da região é abordar apenas uma vertente temática, que não revela toda a riqueza criativa e a capacidade transformadora do sertanejo”, comentou.

O deputado afirmou que deve ser considerada a criatividade dos cearenses na produção de alimentos, sem prejuízo da natureza e adotando medidas diferentes para enfrentar a falta de chuva na região.

“Como o sistema de representação simbólico relacionado à atividade agrícola, em um complexo conhecimento herdado pela tradição e que supera os objetivos defendidos pela mera exploração econômica do meio natural. É nesse contexto que podemos falar do uso sustentável de nossos ecossistemas em que o saber do homem do campo deve ser amplamente valorizado e difundido”, disse Genecias Noronha.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Entrevista com a pré-candidata a prefeita de Boa Viagem – Aline Vieira

Com intuito de manter nosso compromisso e transparência com o povo de Boa Viagem, damos inicio a uma série de entrevistas com pré-candidatos a prefeito, para que a população venha a conhecer e debater melhores escolhas para o município.
Nossa obrigação como meio de comunicação é de narrar ou comentar os fatos, jamais de externar suas preferências, com isso iniciamos a 1ª entrevista com a ex-secretária de Agricultura e filha do ex-prefeito e ex-deputado Estadual, José Vieira Filho, o “Mazinho” e da ex-secretária de Estado e ex-deputada Estadual, Maria Dias, Aline Vieira.
Com 31 anos de idade, a jovem Aline Vieira busca sua maior representação junto aos jovens e ao homem do campo, com carisma e experiência vivida dentro de casa, na política local, Aline tem projetos, e muitos depositam esperança em sua capacidade a tocar e desenvolver o município de Boa Viagem.
Aqui fazemos algumas perguntas a Aline Vieira, onde possa nos transmitir o mais claro e direto seus verdadeiros interesses e compromissos para com o povo de Boa Viagem, podendo ela, ser a primeira gestora do município, com uma população de mais de 53 mil habitantes e muitas desigualdades sociais a enfrentar.

Jornal Folha do Sertão Aline, como sendo de tradicional família política da região, onde seu pai, Mazinho, foi prefeito de Boa Viagem por 5 mandatos, que boa parte das obras estruturantes no município fora feito quando ele administrou o município. Sua mãe, Maria Dias, foi deputada Estadual e secretária de Governo, com berço político e crescendo nesse meio, podemos assim dizer, Aline Vieira esta mais preparada a enfrentar as atuais dificuldades e fazer com que Boa Viagem tenha seu merecido desenvolvimento, tanto no social como em sua estrutura e geração de empregos?
Aline Vieira – Gostaria de iniciar essa entrevista agradecendo pelo espaço cedido pela jornal Folha do Sertão, cumprimentando a todos os leitores e leitoras e desejando-lhes um bom fim de ano e muitas realizações.

Bom, respondendo a pergunta, para a além dos meus pais, também meus avós, José Vieira de Lima, Valdemar Dias Cavalcante, meu tio Francisco Vieira Carneiro, meus primos Artur Bruno, Manoel Vieira (o Nezinho), enfim, minha família realmente tem tradição política e isto é fator de muito orgulho para mim. Sem dúvida, as trajetórias de vida desses e outros familiares se confundem com a história da nossa cidade e região.

Tenho muito orgulho em dizer que o açude que abastece o município de Boa Viagem leva o nome de meu pai e que também a rede de energia que abastece a cidade foi trazida por influencia dele. Que o hospital municipal, que leva o nome de minha avó Adília Maria, o parque de exposições e vaquejada, várias escolas na sede e no interior do município, estradas, calçamentos, as primeiras obras de saneamento, o centro comunitário que tem seu nome, foram obras realizadas em gestões de José Vieira Filho. As agencias bancárias que hoje existem em Boa Viagem foram fruto de articulação sua. Quando deputado conseguiu o recurso para a construção do terminal rodoviário e do Paço municipal. Enfim, a estrutura básica da cidade teve sua participação.

Mas isso não que traz essa “preparação” que você coloca na sua pergunta. As origens familiares são balizadoras das ações, mas não obrigatoriamente conduzem a uma boa administração. O desafio da preparação vem da sensibilidade em lidar com o povo e da determinação em enfrentar a luta.

Costuma-se dizer que “Deus não escolhe os preparados, ele prepara os escolhidos”.  E eu me sinto pronta a fazer o meu melhor se essa for a vontade do povo.

J.F.S – Sabemos que a senhorita, como uma jovem e ligada nas qualidades e defeitos do município, podemos assim dizer, quais áreas são essenciais a serem trabalhadas no município, onde possamos esperar para poder se ter uma melhor qualidade no âmbito social, urbano e em geração de emprego e renda no município.

Aline Vieira – Como bem foi colocado ainda no preâmbulo da entrevista, Boa Viagem é um município com sérios problemas a serem enfrentados e grandes desafios para um gestor(a): Boa viagem vem crescendo como todo o país em função dos investimentos federais e manutenção do programa econômico, que tem garantido a estabilidade da moeda. No entanto a velocidade desse desenvolvimento deixa muito a desejar. Ainda temos um desemprego altíssimo, um sistema de saúde ineficiente, estradas precárias, problemas ambientais muito sérios.
A articulação com os governos federal e estadual para trazer cursos de formação para os jovens, treinamentos e o estímulo ao empreendedorismo são fatores que podem ajudar a inserir a juventude no mercado de trabalho, diminuindo o desemprego.

O incentivo a instalação de novas empresas, indústrias e principalmente o apoio à empresa local e a produção agropecuária precisa acontecer. E, nesse ponto, o município pode e deve atuar com mais eficiência. Os arranjos produtivos locais precisam ser mais bem assistidos, seja com programas de transferência de tecnologia ou mesmo nas compras municipais.

É fundamental melhorar o sistema de saúde municipal. Um trabalhador ou trabalhadora não consegue executar suas tarefas se não tiver saúde. E, infelizmente, essa assistência não tem chegado à maioria das localidades de nosso município.
Existe ainda um desafio maior do que o de crescer, que é o de crescer com sustentabilidade. Não faz sentido querer avançar destruindo os recursos naturais dos quais precisaremos mais adiante. O município enfrenta sérios problemas ambientais. O rio Boa Viagem agoniza com a poluição, construções irregulares e a perda de sua mata ciliar. Se não pensarmos nisso imediatamente e começarmos a enfrentar esse grande problema, vamos dentro em breve chorar a morte do nosso rio, que além de sua beleza, já nos trouxe, nos tempos do algodão, tanta riqueza e que pode voltar a trazer.

Outra grande mazela é o lixão, que envergonha a todos e coloca em risco as famílias que vivem naquela área. Hoje existe um grupo de pessoas fazendo o trabalho de catação de material reciclável. Porém eles o fazem sem as condições sanitárias e estruturais básicas. Não têm equipamento para transporte e prensagem do material.
Com um trabalho sério nessa área podemos diminuir drasticamente o volume de lixo produzido, gerar renda para os catadores-recicladores(as) e vir a funcionar o aterro sanitário que até hoje vive fechado.


J.F.S – Nas eleições de 2004, onde seu pai saiu vitorioso, pela coligação onde contava com o apoio do ex-prefeito Argeu Vieira, onde muitos falam que foi o contra peso naquela eleição, e acabou lançando-se candidato a prefeito em 2008, por divergências entre o grupo assim chamado de 22, disputando contra o próprio Mazinho e Fernando Assef, não obtendo êxito, ficando em 3º. Com Argeu fora do poder local e como o próprio já falou, não será candidato nas próximas eleições, vem-nos a seguinte expectativa; o que podemos esperar de hoje em diante, Argeu e a família 22 (se esse ainda o chamam de “22” ou há outro nome), hoje liderado por você, podem fazer novamente uma forte coligação, sem chance ou há conversas?
Aline Vieira – Não existe candidatura forte sem união de grupos. Política não se faz sozinho. Infelizmente nas eleições de 2008 não foi possível um entendimento com o grupo do PMDB, então liderado pelo ex-prefeito Argeu Vieira, que tinha intenções de lançar candidatura própria, como de fato o fez.

Da nossa parte certamente estamos e estaremos abertos ao entendimento, acreditamos na construção coletiva e apostamos no diálogo baseado em propostas sérias para o desenvolvimento do município.

J.F.S – Afora isso, recentemente, em entrevista a uma radio local, Argeu Vieira diz a seguinte frase,... “no meio da política local e estadual, estamos em roda grande, e roda grande não entra em roda pequena,... Contamos com o governo estadual e federal, do apoio do vice-governador e o deputado federal mais bem votado do estado, então, roda pequena é que deve de entrar em roda grande, e não o contrario...”. O que nos faz questionar, que você, por fazer parte de um partido, PR – Partido da República, de oposição ao atual governo Cid Gomes, prejudicado nacionalmente pelo escândalo no ministério dos Transportes pelo até pouco tempo, ministro Alfredo Nascimento, este derrubado praticamente depois do bate boca com o governador Cid Gomes, podemos assim dizer, uma nova gestão, no município de Boa Viagem, sem contar com apoio dos Governos Federal e Estadual, é um maior desafio ou isso não existe?

Aline Vieira – Um partido que tem o número de deputados estaduais e federais, prefeitos e vereadores como o que tem o PR e que participa do governo do PT desde a primeira eleição do presidente Lula não pode ser considerado de menor importância.
Para além disto, eu discordo da sua colocação de que o PR está desgastado com a saída de Alfredo Nascimento. De fato a sua saída do Ministério dos Transportes foi um episódio dos mais desagradáveis, mas o partido continua base de apoio da presidenta Dilma. Infelizmente esse governo vem sendo marcado por episódios como este. Já se vão seis ministros que deixam o governo Dilma com suspeita de corrupção, inclusive do PT e do PMDB, como foram os casos do Palocci e do ministro da agricultura, isso não significa que o partido não tenha qualificação para assumir a pasta, mas que aquela pessoa não tem. Houve denúncias até mesmo do ex-ministro Ciro Gomes, quando era responsável pela pasta da Integração ainda no governo Lula.

Voltando para o município de Boa Viagem, é importante termos a compreensão de que quem define a eleição é o povo e não os partidos. Quem elege é o povo! E só ele tem o direito de colocar e tirar quem quer que seja de algum cargo eleitoral.  Acredito no voto livre e secreto. 

J.F.S – Voltando ao assunto da entrevista de Argeu Vieira, o que deu a entender foi de que PR, PT, PSDB e o novo PSD, são partidos, que a seu ver, são pequenos e de menor representatividade, tanto no âmbito nacional como estadual, assim pergunto, o que esperar depois de termos assim colocados pelo ex-prefeito?

Aline Vieira – Acho que esta pergunta deveria ser direcionada ao próprio e não a mim, mas mesmo assim vou tentar respondê-la.
Entendo o Ex-prefeito Argeu Vieira como uma pessoa inteligente e alguém que realmente ama seu município e, portanto tenho a convicção de que ele irá direcionar suas forças para um projeto de desenvolvimento real.

J.F.S – Com essas conclusões, afirmações de grupos, lados e partidos, podemos esperar, de que nas próximas eleições, corre o risco de haver 3 (três) candidatos ou mais a prefeito do município, ou PR, PT, DEM e PMDB podem subir no mesmo palanque, assim quem fica com o PSDB, até certo tempo, partido do prefeito Fernando Assef, esse no PSD?
Aline Vieira – O risco de acontecerem três ou até mais candidaturas existe, mas eu não apostaria nisso. Vejo que os partidos de oposição estão bem mais maduros. A derrota de 2008 mostrou aos grupos políticos que não há outro caminho se não o da união.

E o PSDB hoje é presidido pelo ex-vereador Jessé Filho, que não demonstra qualquer inclinação para apoiar o atual prefeito, que deixou a sigla por vontade própria e após alguns incidentes de infidelidade partidária.   

J.F.S – Sabemos que o mandato de prefeito é de 4 (quatro) anos, geralmente tentam se reeleger por mais 4, assim a legislação permite. Quando uma gestão passa por 4 anos, como foi a de seu pai, Mazinho, considerado por muitos transparente e zelosa com o patrimônio público, mesmo assim, tentou sua reeleição e não obteve êxito, sendo derrotado por mais de 3.500 votos de diferença pelo atual prefeito, Fernando Assef. Muitos até hoje falam que foi devido a vários fatores, assim pergunto sobre uns; a doença pela qual José Vieira Filho, Mazinho, passou parte de sua gestão e em campanha lutando, o prejudicou e sua aliança com o PT, tendo na chapa como vice-prefeito, Marcio Ary, para muitos, nome bastante ligado ao advogado e secretário de Meio Ambiente de Fortaleza, Deodato Ramalho, onde alguns o consideram radical demais, veio a prejudicá-lo ou não?

Aline Vieira – Foram vários os motivos do insucesso eleitoral de 2008. Dentre eles, sem dúvida a saúde do Mazinho, que como você citou, encontrava-se bastante fragilizada e se agravou profundamente durante a campanha. Houve momentos em que ele inclusive precisou se ausentar para tratamento. E os adversários usaram isso de maneira muito sórdida. Espalhavam boatos semanalmente de que ele havia morrido ou que se encontrava em estado terminal ou coisas do gênero.
Lutávamos contra dois adversários fortes, o Sr. Fernado Assef e o então Secretário de Justiça Marcos Cals, que teve papel decisivo, estando presente na base da campanha, como grande liderança que sempre foi, e continua sendo em Boa Viagem, haja visto seu resultado eleitoral no ano de 2010, quando foi o candidato a governador mais votado no município.

E, para completar tínhamos o desfalque de não contar com aliados de longas datas que enveredaram pela candidatura do PMDB. Isso nos dividiu na base. Se compararmos o resultado de urnas como as da região do Ipiranga nos anos de 2004 e 2008 podemos observar claramente essa divisão.
Quanto à participação do partido dos trabalhadores, eu avalio com tendo sido positiva. O ex-vereador Marcio Ary é uma pessoa bastante dinâmica, o Dr. Amâncio foi um grande colaborador e tantos outros companheiros e companheiras que tivemos o prazer de partilhar a luta naquele momento. Sobre o Dr. Deodato Ramalho, o mesmo estava disputando eleições em Fortaleza, mas colaborou antes do processo eleitoral com espaço na rádio para defendermos também o nosso ponto de vista, uma vez que na outra emissora, não tínhamos qualquer abertura.

J.F.S – A ex-deputada Maria Dias, sua mãe, para todo cidadão, consciente e sem paixão sabe bem a definir, pelo pouco que conheço, sua pessoa em época como gestora pelo município, em algumas secretarias, foi de uma boa e eficaz administração. Qualidades e defeitos todos nós temos, mas para muitos, por ela ser bastante exigente na qualidade e no trabalho, acaba se passando por maléfica, no linguajar popular, “Peça ruim”, e como de costume popular, sempre temos de colocar a culpa pela derrota em alguém ou algum trabalho mal feito. Assim podemos indagar que ela prejudicou por essa sua imagem, na campanha de reeleição do Mazinho e pode vir a prejudicar a sua, ou podemos dizer o contrario, por sua experiência na política e em gestão pública, é de uma grande valia?

Aline Vieira – A professora Maria Dias, a qual eu não preciso citar o currículo porque você já o fez, mesmo que brevemente, é uma pessoa de grande capacidade política e administrativa, e também bastante bem vista não só pela comunidade educacional, como no meio político.
Não preciso dizer que ela é uma mulher de personalidade forte, como também é a presidente Dilma e tantas outras lideranças femininas ou masculinas. Acredito que essa tese de ¨Peça ruim¨ que você coloca é defendida por pessoas que temem o seu potencial, e tentam denegrir a sua imagem com o claro intuito de afastá-la dos movimentos políticos. E a estes eu aviso que isso não acontecerá!


J.F.S – Sabe-se que de um prefeito para outro, sempre há mudanças, algumas até bastante radicais. O que seria de bom, proveitoso e de qualidade para o município, e que com uma nova gestão, essa deveria, de como dever e obrigação com o patrimônio público, dar continuidade a tais projetos elaborados, esses se eficazes na gestão anterior e você, como membro de boa parte da gestão entre 2004 e 2008, podemos dizer que houve projetos, convênios com entidades sociais ou obras que a atual gestão não deu continuidade?

Aline Vieira – Infelizmente essa é uma prática muito comum no Brasil. Havia projetos exitosos que foram ceifados, como o caso da Feira livre popular, dos convênios com associações, do trabalho das coordenadoras pedagógicas, que tiveram que entrar na justiça para garantir o pleno exercício de sua atividade, para a qual foram concursadas
Os mini hospitais, que hoje se enquadrariam muito bem no programa federal UPA – Unidade de Pronto Atendimento, e que poderiam realmente estar oferecendo algum conforto às comunidades mais distantes da sede que hoje ficam desassistidas. Enfim, houve uma sucessão de desmantelos em programas estratégicos que conduziram ao caos que é esta administração atual.


J.F.S – Com o passar do tempo, trabalhando em Tauá e logo depois em Pedra Branca, na ADAGRI, você estava ausente da opinião pública, principalmente no que refere-se a criticar a atual gestão, que para muitos, para candidata de oposição, não se pode dar tal distanciamento, mas podemos assim dizer que Aline pode estar chegando mais forte do que muitos pensam, em se contando de apoio, deputados e/ou futuros e atuais vereadores, quem podemos dizer, fazer parte desse seu grupo?

Aline Vieira – Desenvolver a minha profissão é uma questão, não só de sobrevivência, mas de autonomia. Assim como qualquer cidadã de classe média, eu preciso trabalhar para pagar minhas contas ao final do mês. Então o fato de precisar me ausentar do município durante a semana é algo premente, mas procuro sempre compensar isso nos meus momentos livres, quando procuro estar presente aos eventos importantes do município, visitar as diferentes localidades, buscando pontos de articulação para nossa campanha e, principalmente, mantendo vivos os nossos ideais partidários através de nossas reuniões de formação de militância todos os dias 22.
Os espaços da mídia, como esta entrevista também são prioridade para nós uma vez que são de grande valia na difusão de nossas  idéias.

Ao passo que buscamos essa articulação na base da população, procuramos também o apoio de das lideranças do partido, dos deputados que ajudamos a eleger e temos mantido boa conversação com alguns outros grupos políticos articulados no município. Acredito que esse grupo vem crescendo significativamente e que nos preparamos para combater o bom combate.

J.F.S – Hoje estamos em um mundo mais moderno, civilizado e que contamos com uma maior representação e cobrança popular nos debates que envolvam nossos direitos. Vivemos em uma democracia, onde votamos naqueles que gostaríamos e esperamos fazerem verdadeiras mudanças para um avanço social, urbano e geração de emprego e renda. Para muitos, essas áreas são essências, e de que nem toda gestão tem cumprido seu dever, mesmo pela dificuldade apresentada, e assim, a senhorita sendo considerada como oposição a atual gestão, diga-nos 2 fatores positivos e 2 negativos da atual gestão?

Aline Vieira – Dos pontos positivos, posso ressaltar o investimento em lazer e propaganda. O povo sente a necessidade e tem o direito de ter eventos culturais de grande porte e neste ponto a administração atual não tem economizado. São várias festas, animadas por bandas de padrão nacional. A propaganda também é importante, uma vez que faz parte dos preceitos da boa administração o princípio da publicidade.
No entanto toda essa publicidade não dá ao cidadão um panorama real das contas públicas, falta transparência nos gastos e participação popular na definição do orçamento municipal.

O prefeito vive ausente do município e a saúde pública encontra-se em estado caótico.

J.F.S – Vou tratá-la como prefeita nessa pergunta. A senhorita como gestora municipal, poderia vir a contar com o apoio ou não da maioria na Câmara Municipal, onde em 2013, já contaria com 15 vereadores. Essa indagação dificultaria ou haveria um consenso entre o executivo e o legislativo, para que ambos trabalhassem em prol do município, independentemente de ser uma maioria oposição ou não, e no caso de a seu gosto, concordaria em termos uma renovação na casa legislativa, onde quase todos os atuais são vereadores a bastante tempo?
Aline Vieira – Acredito numa renovação parcial da câmara, até mesmo porque vamos sair de 10 para 15 vereadores, não podemos saber quem serão as pessoas a ocupar essas vagas, mas podemos adiantar que a câmara municipal de Boa Viagem não tem tradição de fazer oposição descabida aos gestores do executivo, pelo contrário, tenho observado nos últimos anos uma abertura muito boa entre executivo e legislativo.


J.F.S – Em nossa última pergunta, temos o seguinte, a senhorita, caso eleita prefeita de Boa Viagem, a população boaviagense pode contar com uma Aline de que forma e o que implantar e exigir dos governantes para nossa Boa Viagem?
Aline Vieira – Pode-se esperar uma Prefeita presente ao município, que prioriza a participação popular na elaboração e execução do orçamento e que presta contas dos gastos públicos.

Que enxerga a sede e o interior como iguais e por tanto com o mesmo nível de importância e que vai procurar fortalecer a articulação social para uma maior representação dos distritos, seja através da participação das Associações, dos Sindicatos, enfim, da sociedade civil organizada.
Uma prefeita que entende que desenvolvimento significa oportunidades e geração de trabalho e renda para todos(as) e que sabe que precisa-se fortalecer a economia do município para que isto aconteça.

Alguém que entende que não existe qualidade de vida se não houver bons serviços públicos de saúde e educação, bem como servidores públicos respeitados.
E por fim, alguém que certamente cometerá erros, mas saberá ouvir as críticas e tentará se corrigir.

Entrevista com o pré-candidato a prefeito de Tauá, Josevaldo

As eleições de 2012 no município de Tauá pode ser uma das mais concorridas, sabendo que a oposição conta com diversos nomes a sua escolha, no caso de uma união de todos os partidos que hoje não fazem parte da situação escolher um bom nome, e ainda podendo enfrentar uma forte adversária, Patrícia Aguiar, ex-prefeita e esposa do atual vice-governador do Estado do Ceará, Domingos Filho, onde a mesma foi chefe do executivo por 8 (oito) anos, tendo sua gestão aprovada por mais de 70% da população local.
Com isso damos inicio a primeira entrevista com pré-candidatos a prefeito no município de Tauá, o empresário, ex-vereador pelo PSDC, filho de José Silvério do Nascimento e Lenita Alves do Nascimento, casado com Marta Teixeira Pessoa do Nascimento, pai de Luiza Jessica, Larissa e Gabriela, avô de Pedro Victor, Josevaldo Alves do Nascimento, trocou recentemente o PR pelo PSDB, onde nas eleições de 2008 foi candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Dr. Ronaldo César, onde contou com a vitória de Odilon Aguiar, atual prefeito do município, pelo PMDB.

Jornal Folha do Sertão – Josevaldo, recentemente você estava filiado ao Partido da República – PR, agora está filiado ao PSDB, partido esse que até pouco tempo fazia parte da base aliada ao atual governo municipal, o que o motivou a sair do PR e ir para o PSDB?
Josevaldo – Toda estabilidade econômica do país, todo desenvolvimento do estado do Ceará e toda infra-estrutura do nosso município, deve-se ao PSDB. Nós temos compromisso com o projeto de nosso partido em 2014 nas esferas Estadual e Federal, e o partido tem compromisso conosco nas eleições municipais de 2012l. Um partido com a grandeza e o serviço prestado que tem como o PSDB, não pode simplesmente servir de legenda de aluguel. O nosso compromisso com o PSDB e com o nosso município é de discutirmos os problemas do nosso Tauá, e propormos soluções, fortalecendo assim o processo democrático de nosso município. 

J.F.S – Nas eleições municipais de 2008, você junto a Dr. Ronaldo César, unidos pelos partidos PPS/PDT/PR/DEM, onde para muitos fizeram uma expressiva campanha, com 13.887 votos, mais de 40% dos votos válidos. O que podemos esperar e por onde começa o trabalho para 2012, já que podem enfrentar uma gestão forte e podendo ainda mais com a volta de Patrícia Aguiar a disputar o cargo do Executivo municipal.
Josevaldo – Na verdade foram 44% dos votos, isso mostra a fragilidade e a falta de compromisso dos atuais gestores, que procuram se perpetuarem no poder. Independente de quem disputará a eleição em nosso município por parte da conjuntura atual não será fácil, pois o modelo político atual de domínio e centralização do poder, já não condiz com a realidade atual que vivemos.

J.F.S – Hoje o que muito se fala na cidade é de que a oposição está rachada/dividida, com sua saída do PR, partido esse que conta com 3 pré-candidatos, os médicos Ronaldo César, Ed Wilson e Carlos Windson em disputa interna. A situação da oposição hoje é delicada como se fala ou há conversas nos bastidores?
Josevaldo – Eu não acho, quem apostar no racha da oposição com mais de um candidato vai perder.

J.F.S – Recentemente houve manifesto de outros partidos, esses a dizer que são de oposição a atual gestão, manifesto esse mais na teoria do que na prática, gostaríamos de saber, quais os partidos que se hoje fossem as eleições, quem o PSDB, encabeçando a oposição poderia contar para uma futura coligação?

Josevaldo – PSDB, PRTB, PPS, PT do B, PR, PV e o POVO, se não houver nenhuma alteração até junho de 2012, partiremos juntos, e dependendo do andar da carruagem ainda poderemos contar com o DEM.
J.F.S – Em 2012, caso não haja uma união de quem será o nome a encabeçar a chapa da oposição, podemos dizer que há o risco termos 02 (dois) candidatos a prefeito, rachando em definitivo o quadro da oposição tauaense.

Josevaldo – A oposição de TAUÁ não é burra, e nós não estamos brincando com o povo,e muito menos usando nossos amigos para possíveis negociações, agora é preciso que o candidato tenha historia na política do nosso município, e tenha no mínimo a simpatia e o respeito do nosso eleitorado.
J.F.S – Quando citamos o poder executivo, prefeitura, logo nos vem a composição de uma forte e amigável casa de vereadores, apoiando o executivo e aprovando o que lhe convém. Hoje, o que podemos de verificar é de que a Câmara Municipal de Tauá é totalmente aliada ao poder executivo, todos os vereadores fazem parte da situação. No caso, a seu ver, isso facilita a vida do gestor municipal, mas nos passa uma visão diferente da casa e voz do povo, que em algumas vezes, vai de contra essa voz. O que o senhor, como vereador que já o foi, poderia de acrescentar ou exigir do executivo municipal se hoje ainda fosse um legislador municipal?

Josevaldo – Isso dito é bem verdade, com à negligencia da Câmara em realizar o seu trabalho, que é de fiscalizar, legislar e deliberar. Acaba-se assinando um cheque em branco para o executivo e consequentemente acaba-se descaracterizando e tornando-se ainda mais sem credito e fútil o poder legislativo. Mais vale o papel de um vereador critico e consciente, do que o de dez bajuladores.
J.F.S – Se em 2012, o senhor for o candidato a prefeito pela oposição, quais suas principais metas/projetos para Tauá, cito aqui áreas essenciais e bastante criticadas na atual gestão, como saúde, esporte e agricultura e nos comente mais alguma que esteja como meta a colocar em ação no município?

Josevaldo – Olha primeiro nos vamos voltar os nossos esforços para cuidar principalmente das pessoas, com parcerias voltadas para criação de emprego e renda, coisa rara hoje em nosso município. Uma boa gestão na saúde, educação, segurança publica, infra- estrutura e apoio ao homem do campo com certeza será focada e priorizada por nós.
J.F.S – Interessante em muitos municípios do interior cearense se falar em geração de emprego e renda, municípios como Tauá, com uma população de mais de 55 mil habitantes, melhores empregos somente pelo poder público. Alguns órgãos e empresas privadas apareceram como salvação para uma população desempregada, ficando apenas como uma boa promessa futura. Citamos a Usina Solar, apareceu como geração de emprego e renda, mas não apresentou suas verdadeiras e esperadas empregabilidades. O senhor tem algum projeto, que traga novos investimentos, eficazes e geradores de emprego no município?

Josevaldo – O que podemos observar, é que a cada dois anos em nosso município, por conta das eleições, os que detem o poder do Tauá, prometem indústrias e mais indústrias. Finda somente nas promessas, nada acontece. Se levarmos em consideração a força política e institucional daqueles que hoje dominam o nosso município e que estão ao lado do governo Federal e Estadual, chegaremos a conclusão de que a criação de empregos em nosso município não acontece, ou porque não querem ou por pura incompetência.
J.F.S – Em um mundo bastante civilizado, contamos com maior representação nos debates, exigimos e criticamos tudo aquilo envolvam nossos direitos. Hoje em uma democracia, temos votado de forma que gostaríamos e esperávamos fazerem verdadeiras mudanças, seja no amparo social, urbano e geração de emprego e renda. Para muitos, são áreas essências, mas a certeza que temos é de que nem toda gestão tem cumprido verdadeiro dever, até mesmo pela dificuldade enfrentada, e assim, o senhor, como oposição e como cidadão, diga-nos 2 fatores positivos e 2 negativos da atual gestão?

Josevaldo – O único positivo é estes conjuntos de obras que vieram para o nosso município. Agora negativos são vários, a falta de transparência dos recursos públicos, a má gestão da saúde, educação, a falta de apoio a agricultura e a geração de emprego levam o nosso município por parte dos atuais gestores a um dos piores em indicadores econômicos do Ceará.
J.F.S – Josevaldo, você compõe hoje os quadros do PSDB local, partido esse de oposição ao governo Cid Gomes (PSB) e a presidente Dilma (PT), no caso de uma vitoria sua, atuando como prefeito municipal de Tauá, como lidar com essa oposição a nível nacional e que para muitos, Tauá tem sido um dos médios municípios que mais tem crescido com investimentos federais e estaduais, assim, podemos dizer, uma nova gestão, no município de Tauá, sem contar com apoio dos Governos Federal e Estadual, é um maior desafio e poderia de parar esse considerado avanço?

Josevaldo – Todo brasileiro paga seus impostos, para receber em serviços públicos, os tauaenses não estão fora destas possíveis realidade, agora os nossos conterrâneos não tenham duvidas, de que se eleito prefeito de Tauá buscaremos parceiros para juntos ao governo Federal e Estadual, buscando melhorias, oportunidades e desenvolvimento para o nosso município.
J.F.S – Em nossa última pergunta, temos o seguinte, o senhor, caso eleito prefeito de Tauá, a população tauaense pode contar com um Josevaldo de que forma e o que implantar e exigir dos governantes para o nosso Tauá?

Josevaldo – Um Josevaldo preparado para cuidar do município e das pessoas, um Josevaldo que respeitará as leis e as instituições. Estaremos prontos ao dialogo, mas atentos em defender principalmente ao povo mais humilde de nosso município, buscando mecanismo governamental para criação de emprego e renda e apoio a área produtiva. Respeitaremos também um dos princípios básicos da democracia que é a alternância do poder.

Keylly Noronha é uma das melhores prefeitas do Ceará

Em sua 24ª edição, a promoção "Melhores Prefeitos do Ceará de 2011" entregou, no último dia 11, os diplomas e troféus aos 31 gestores escolhidos por um colegiado de alto nível, integrado por dirigentes de entidades e municipalistas, formadores de opinião do Estado.

O prêmio tem como objetivo incentivar os prefeitos que estão trabalhando corretamente e colaborando para o maior desenvolvimento do Estado.

Foram homenageados os prefeitos que mais se destacaram em suas atividades frente aos municípios do Estado. Além disso, também visa homenagear os Municípios com menores índices de analfabetismo e de mortalidade infantil e, ainda, melhor índice de vacinação tríplice.

Este ano, os gestores escolhidos são das cidades de Alto Santo, Aquiraz, Brejo Santo, Canindé, Capistrano, Caucaia, Crato, Fortaleza, Horizonte, Icó, Iguatu, Itarema, Lavras da Mangabeira, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Morada Nova, Ocara, Pacoti, Palhano, Parambu, Pedra Branca, Quixeramobim, Redenção, Russas, Sobral (o mais votado), Tamboril, Tauá, Tururu, Várzea Alegre e Viçosa do Ceará.

A idéia, com a escolha rigorosa dos vencedores, é que o prêmio possa promover uma competição saudável, motivando os demais prefeitos a buscar este reconhecimento.

A Prefeita Keylly Noronha recebeu o Prêmio ao lado dos Secretários: Antão Roques e Neile Torquato, Vereador Vandengerg, Assessores e familiares. Dentre eles o seu tio Róbson Noronha (Presidente da Câmara Municipal) que também foi homenageado.






Ulisses Lima, Keylly Noronha e Júnior Noronha

A importância da família para a formação de cidadãos

A família deve ser a principal responsável pela formação da consciência cidadã do jovem e também apoio importante no processo de adaptação das crianças para a vida em sociedade.
Uma boa educação dentro de casa garante uma base mais sólida e segura no contato com as adversidades culturais e sociais, características do período de amadurecimento. A ausência familiar gera graves conseqüências na formação, alimentando valores egocêntricos, que levam os mais jovens ao mundo do vício e das futilidades.
O pouco contato com os pais durante o dia-a-dia faz com que a responsabilidade do ensino básico da criança fique delegada à escola. Se, antes, a escola desempenhava a ação de educadora profissional, hoje, muitas vezes, desenvolve também o papel de primeira formadora da consciência cidadã dos jovens.
No entanto, desde o início do processo de industrialização, a sociedade passa por transformações que resultam em uma postura cada vez mais individualista por parte da maioria da população jovem. O ingresso da mulher no mercado de trabalho diminuiu o tempo disponível para a dedicação aos filhos daquela que, antes, só se dedicava quase que exclusivamente à formação das crianças.
O problema, a meu ver, não é o tempo que os pais passam com os filhos. O desafio está na qualidade dessa convivência, que deve ser marcada por um forte componente de presença educativa.

Kleber Lucas faz 1º grande show gospel em Boa Viagem

O Cantor da música gospel Kleber Lucas fez um grande show na cidade de Boa Viagem, no Sertão Central cearense, intitulado de Adoração no Sertão, a administração municipal, patrocinadora do evento, onde essa promoveu com recursos próprios, agitou todos os evangélicos do município e região dia 31 de outubro.
O cantor e compositor, Kleber Lucas agitou com seu ritmo carismático e envolvente no dia dedicado ao protestantismo no município. Contando com mais de 7 mil pessoas em praça pública, os boaviagenses receberam caravanas que vinheram de diversas cidades, como Tauá, Parambu, Madalena, Quixadá, Quixeramobim, Independência, Pedra Branca, Canindé e outras mais.
A administração, através de seu prefeito, Fernando Assef e de seu vice-prefeito, Ismael Fragoso, agradeceu o empenho e trabalho de todos no evento, que contou com total segurança e conforto, que a administração empenhou-se junto aos pastores das igrejas evangélicas e da empresa vencedora do pregão, em trazer um dos maiores nomes, se não o maior da música Gospel no Brasil, Kleber Lucas para Boa Viagem.





Prefeito Fernando Assef e vice-prefeito Ismael Fragoso

Inaugurado o Lojão da R&R em Tauá

O jovem casal de empresários, Rochelle e Roniely, proprietários da marca R&R, buscando expandir sua marca e seus negócios no município de Tauá, inauguraram mais um empreendimento no município, o Lojão da R&R.
Inaugurada dia 28 de outubro e contando com uma grande presença da população tauaense, que veio a conferir o novo empreendimento e seus produtos. O lojão conta com uma diversidade de seus produtos, como bolsas, cintos, sandálias, rasteirinhas, carteiras, da moda feminina, infantil e masculina.
O preço e a qualidade é o diferencial dos demais concorrentes, pois são produtos de ótima qualidade, de baixo custo e padrão de 1ª linha, afirma o casal de empresários.
Situado à rua Dondon Feitosa, 318, vizinho a Free Som, o Lojão espera por sua visita, confira e saia satisfeito com bom atendimento, produtos de qualidade e preços ao seu alcance.




"ONDE A MODA VAI ATÉ VOCÊ COM PREÇO BAIXO."

As falsas promessas para 2012

O ano eleitoral está chegando e, com ele, chegam as atitudes e promessas populistas dos políticos que estão no poder. Também uma grande parte dos que querem tomar o poder começam a fazer propostas absurdas, que sabem que jamais cumprirão.
Os gestores que estão no poder há três anos, em sua maioria, deixam para mostrar suas obras agora nessa reta final. É comum em nossa região nos depararmos com gestões que nada fizeram pela cidade nesses três anos.
Deixaram sua terra totalmente abandonada, sem trazer recursos e benefícios para os cidadãos. Deixam seus adolescentes e jovens sem qualquer perspectiva de futuro, sem capacitação e sem emprego. Nem mesmo para o esporte e lazer existiu preocupação nesses anos que passaram. Houve apenas uma acomodação de seus eleitores em empregos e serviços públicos.
Em Boa Viagem mesmo os jovens sofrem com a falta de opções de lazer e cultura. A administração sequer ajudava nas despesas para seus representantes jogarem em outros municípios. Muitas comunidades não dispõem de equipamento esportivo minimamente adequado.
No quesito da cultura, ressalte-se, que nos últimos tempos começam a se proliferar eventos caríssimos que, apesar da importância para a cidade e para os cidadãos, acabam por se transformar em palanques eleitorais. Os políticos usam as festas para angariar apoios junto a diversas comunidades. Em evento recente, os gestores aproveitaram uma linda e organizada festa para fazer política e cooptar determinados líderes evangélicos. Felizmente nem todos se abraçam ao poder por causa da festa realizada.
O incentivo aos shows evangélicos é salutar e deve ser feito não como um favor àqueles religiosos, mas sim como um benefício contínuo e independente de ramos políticos.
Nas eleições passadas muitas foram as promessas de redução de impostos, inclusive com relação à taxa de iluminação pública. Mas tudo não passou de falácia. Lembre-se que houve até quem prometesse que ia fazer com que os motoqueiros pudessem dirigir sem capacetes, o que é um absurdo que dispensa maiores comentários.
A população tem que ficar atenta para não ser novamente enganada. Deve-se analisar os candidatos e seus projetos para a cidade, e não apenas os projetos pessoais de cada pretendente ao cargo eletivo. Muitas vezes quem ganha tem apenas um projeto para acomodar seus seguidores e não pensam na coletividade.

Deodato Neto